sábado, 25 de fevereiro de 2012

Mulher pode fazer xixi na rua?



Parece que o tempo anda passando rápido demais e não só fisicamente.
Fico observando os modismos, os comportamentos e chego a conclusão que realmente estou ultrapassada nos meus valores; felizmente vim de outra era, outra geração ou de outro berço.
Quando pensei que nada mais me chocava, descobri uma notícia nos jornais que me deixou entre envergonhada e desesperançada: "Mil mulheres são detidas fazendo xixi nas ruas." Estatística triste do carnaval em uma grande cidade. Se já era deplorável homem fazer xixi em plena via pública imagine mulheres abaixando as calcinhas e agachadas sem o menor pudor deixando nas ruas o seu xixi, que deveria ser feito entre quatro paredes com o cuidado e delicadeza que uma mulher carece.
Quase não consigo acreditar que criatura que tem o dom de abrigar um filho no ventre por nove meses, a mesma que tem a capacidade de alimentar nos seios a sua descendência se perca tanto dos seus próprio valores e se desnude deles de forma tão chocante. Não pelo xixi e sim pelo ato que prova que cada vez mais a mulher se despe do pudor e se iguala aos homens deixando assim de ter seus mistérios, de ser aquela criatura de modos delicados para se tornar banalizada e sem escrúpulos, ou até pior, beirando a animosidade.
Como depois de se rebaixar tanto esperar que os homens queiram compromisso, sejam gentis, elegantes; se a dama já não existe mais e no lugar dela surgiu uma espécie de animal que sequer valoriza a espécie? Longe de ser uma crítica negativa, e antes que se possa dizer que meu comentário é machista; penso e lembro de como era bom ser o centro das atenções com gestos delicados, a corte que instigava mais e mais o romance e onde as relações eram mais estáveis porque se ia conhecendo aos poucos uns aos outros e não logo no primeiro encontro. A mulher sempre procurava esconder um pouco mais suas mazelas , principalmente diante dos homens porque o seu charme maior sempre foi o mistério. Hoje já não se guarda nem o cuidado com o corpo diante das situações mais pudendas.
Fazer xixi em plena rua!! É incompreensível para um mulher que cultiva hábitos saudáveis , é inadimissível para uma mulher que cuida com carinho do seu corpo para entregar à pessoa amada e é totalmente fora de cogitação para uma mulher medianamente educada!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Algumas coisas que só o tempo ensina

Não importa aonde chegar, importante é caminhar pra frente, e não fechar os caminhos do parceiro de caminhada.
Não importa a cara lavada, importa é saber que a maquiagem é só um adorno.
Não importa não dormir de vez em quando, importa saber acordar no tempo certo.
Não importa o tempo que se carrega no corpo, ele só será pesado se a alma 
desaprender de ser livre.
Não importa em que tempo o amor chega, o importante é saber a hora de abrir a porta.
Importa não é ter olhos, mas é ir além de olhares.
Não importa ser grande, importa é valer indiferente ao tamanho.
O tempo é veneno que tempera a vida, e é a dose certa para nos resguardar da própria vida.
Senhor absoluto da razão só o tempo faz e desfaz independente da nossa vontade.
Estar pronto a cada dia para enfrentar desafios é regra pra se seguir à risca, pra não se correr risco de ficar no meio fio a se lamentar.
E como eu sempre digo; viver cada dia como se fosse o último, cada amor como se fosse o único por que na sala de espera tem alguém torcendo por você, e na UTI é você que tem que aprender a lutar pela sua vida.